Geral

Colapso na armazenagem já afeta milho e atingirá soja brasileira

A imagem com montanhas de milho a céu aberto chama a atenção, mas já não surpreende. Ano após ano o Brasil repete os mesmos problemas de infraestrutura. As safras crescem, mas os investimentos em armazenagem não evoluem na mesma velocidade.

PUBLICIDADE.
SAFRA Cambio #

A colheita da segunda safra de milho está apenas começando e segundo o presidente da Aprosoja Mato Grosso, Endrigo Dalcin, “a situação vai ser ainda muito pior”. Ou seja, é provável que novas cenas de milho deixado ao relento apareçam nos próximos dias.

Mato Grosso, por exemplo, deve colher a maior safra de milho da história. Um incremento previsto de 9 milhões de toneladas na comparação com o ano anterior. No Brasil, somando a primeira e a segunda safras, a estimativa da Conab aponta para 93,835 milhões de toneladas. Se confirmada, seria uma alta de 41% em relação à temporada 2015/2016. Só para ter uma ideia como a grande oferta do grão já impactou os preços em MT, de acordo com o IMEA, a saca está valendo R$ 13,68, praticamente a metade dos R$ 27,25 praticado no mesmo período do ano passado.

“A pressão de baixa vai se acentuar com o avanço da colheita. Temos um déficit de 74 milhões de toneladas e só 15% das capacidades de armazéns estão dentro das propriedades rurais. Nos EUA a capacidade dentro das fazendas é de 56% . Se não existisse esse déficit de armazenagem, de forma alguma o preço estaria tão baixo”, explica o consultor de mercado, Carlos Cogo.

Em Ipiranga do Norte, 50% da safra já foi colhida de acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Valcir Gheno. Ele acredita que o caso da armazenagem a céu aberto é isolado e que a estratégia de negócio do produtor rural deve ser repensada.

“A renda do produtor vai ficar muito aquém do esperado. Tem que rever esse modelo de aumentar a produção, pois o produtor não está ficando com o lucro”, diz.

PUBLICIDADE:

A Associação dos Produtores de Soja e Milho alerta para um problema ainda maior, a calamidade no sistema de armazenagem deve afetar a próxima safra de soja também.

“O milho você põe agora a céu aberto, mas a soja não tem chance de colocar a céu aberto. A calamidade não acaba com a safra de milho. Precisaríamos de uma capacidade adicional de 35 milhões de toneladas para guardar a produção, isso mostra a ânsia de ter recursos para a armazenagem. O problema não é só taxa de juros, mas burocracia na velocidade de contratação”, reclama Dalcin.

No Plano Safra 17/18 o governo anunciou incentivos para a armazenagem com redução de juros (8,5 a 10,5% a.a) e aumento na oferta de recursos em programas como o Moderfrota. Para sanar o déficit da armazenagem no Brasil vão ser necessários muito mais tempo, recursos e interesse para investir.
canalrural

CDE NEWS.
PUBLICIDADE
El mayor medio de comunicacion de la frontera, Ciudad del Leste e Foz do Iguaçu
www.cdenews.com
con FM CDE news
espresas del grupo www.capitanbado.com

-============================
ENCARNACION NEWS
PUBLICIDADE
El mayor medio de comunicacion de la frontera,Encarnacion – Paraguay e Misiones – Argentina
www.encarnacionnews.com
Espresa del grupo www.capitanbado.com

Haga clic para comentar

Más popular

Arriba